domingo, 12 de agosto de 2012

Tem que participar

Ah, dia dos pais. Confesso que não é minha data favorita do ano. Tem vezes que passa e nem dói. Tem vezes que me deixa faceira, rindo sozinha. Tem que vezes que dá vontade de ficar em casa trancada no canto, chorando de saudade.

Meu pai era uma figura bacana. Daqueles caras bem bonachões, conquistava a gente, sabe? Sabe aquela história de tem que participar? Pois é, o pai participava. O pai brincava. O pai dava bronca, O pai ria. Nem sempre o pai era o marido perfeito, e a profissão fazia com o que o trabalho pesado, a correria incessante do dia a dia, ficasse todo com a mãe, mas em nenhum momento dos 12 anos da minha vida em que ele esteve presente eu pude reclamar de ausência. O pai tava sempre ali.



O pai era ciumento (numa obsessão vidente, que previa nossas adolescências), meio antiquado para algumas coisas, se achava megajovem para outras. Na real, agora que eu passei dos 30, vejo e entendo como ele era jovem. O pai gostava da função cervejinha e churrasco. O pai gostava de dançar. O pai gostava de pregar peças nos outros (e detestava que pregassem nele). O pai era bem vaidoso. O pai não gostava de levar desaforo pra casa. O pai adorava o próprio bigode (inclusive tentava fazer implantes - de brincadeirinha - em nós e nas primas). O pai ajudava a quebrar sofá pulando junto com a gente. O pai gostava de praia. O pai gostava de nadar.

Uma pena ele não ter podido ficar um pouco mais. Acho que o pai ia ter gostado de ir na minha formatura. Acho que ele teria ido aos jogos da minha irmã. Acho que ele teria brigado por um monte de coisas que a gente fez, mas teria gostado de estar lá nem que fosse pra brigar. Acho que o pai ia amar ser avô. Cheguei naquele ponto em que não lamento mais não ter um pai presente. Cheguei naquele ponto de desejar que, da mesma forma que eu, meus filhos tenham um bom pai (e ele já tá escolhido). O melhor pai. Que brinque, ria, eduque, ajude. Que faça o seu melhor, exatamente como o meu fez.

É bem bom ter pai. É bem bom poder ter tido um bom pai.

Feliz dia dos pais! Aproveitem!


2 comentários:

Regiane 'Carrie' Alencar disse...

Ahhhhhh q triste, mas q lindo. Eu amo o meu pai e ele é o melhor do mundo. Do tipo q quer participar... influenciou no meu gosto musical... rock, rock clássico, BEATLES, e foi com ele q aprendi a ler, lendo as revistinhas q nós gostamos (Turma da Mônica e Disney) e q lemos até hj. Aliás, tenho uma nova pilha de revistinhas novas pra ler, q ele trouxe essa semana. rs Eu amo meu pai! rs

Paula Coruja disse...

Que legal, Regiane!!! Aproveita muito mesmo!!!
beijocas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...