domingo, 8 de julho de 2012

Novo longa metragem de Carlos Gerbase estreia no dia 20/7


Estreia no dia 20 de julho o novo longa metragem de Carlos Gerbase, Menos que Nada. A produção é o primeiro lançamento no formato pela Prana Filmes, de Gerbase e Luciana Tomasi. O filme será apresentado em diversas plataformas, com sessões em salas de cinema nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília, Curitiba e Salvador, além de ser disponibilizado gratuitamente em streaming pelo canal Sundaytv, do portal Terra, exibido pelo Canal Brasil e TVCOM e à venda em DVD.

Temas como esquizofrenia, psicose, perturbação mental, internamento, drogas, desesperança, paixão e solidão fazem parte do universo de Menos que nada. No elenco, nomes bem conhecidos do cinema brasileiro, como Felipe Kannenberg (“Olga”), Rosanne Mulholland (“Falsa loura”), Branca Messina (“Não por acaso”) e Maria Manoella (“Mulher invisível”).  Premiado no concurso para mídias digitais da Petrobrás em 2010, a trama do longa-metragem gira ao redor de Dante (Felipe Kannenberg), que está internado num hospital psiquiátrico com diagnóstico de esquizofrenia. Ele não fala com ninguém, nem recebe visitas. A Dra. Paula (Branca Messina), uma jovem psiquiatra, se interessa por Dante ao vê-lo surtar no pátio do hospital. Disposta a desvendar as relações sociais do seu paciente, a médica faz uma série de entrevistas com pessoas que conviviam com Dante antes do internamento e que contam sobre seu passado.



Menos que nada foi inspirado pelo conto “O Diário de Redegonda”, do médico e escritor austríaco Arhur Schnitzler (1862-1931). “O filme pode ser definido como um drama psicológico, embora também tenha alguns traços de suspense e erotismo. Schnitzler era um arguto observador do comportamento humano - em suas glórias e em suas misérias - e a adaptação procurou manter esse caráter analítico da sociedade, que pode ser inferido a partir dos dramas individuais”, afirma o diretor.

As filmagens aconteceram em dezembro de 2010 e janeiro de 2011, em Porto Alegre, no sul do Rio Grande do Sul (praia do Cassino e proximidades do banhado do Taim) e litoral norte (Arroio do Sal e Araçá). Na capital gaúcha, os principais cenários foram o Hospital Psiquiátrico São Pedro (que no filme chama-se São Tomás de Aquino) e a PUCRS.

As sessões de pré-estreia iniciam no dia 29 de junho, na programa do Festival Internacional do Cinema Ambiental em Goiás Velho, passando por Brasília (09 de julho), Rio de Janeiro (10 de julho), São Paulo (12 de julho) e encerrando em Porto Alegre (dias 13 de julho, no Museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS e 16, no Espaço Itaú). O protagonista Felipe Kannenberg estará presente nas sessões.

(informações Bruna Paulin)


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...