terça-feira, 25 de outubro de 2011

Emagrecer ou não emagrecer, eis a questão

Só pelo título mulher se atiça, né? Afinal, todas nós (sem exceção) precisamos perder pelo menos três quilos. Eu andava precisando perder quase três dezenas deles, mas tudo bem. Tem uma amiga seca (seca mesmo) que veio se queixar esses dias que tava precisando emagrecer. Só vi osso e não entendi de onde ela queria tirar os três quilos, mas ela quer. Todas queremos.

Lembram que comentei aqui sobre o meu fígado gordo? Pois é, eu sabia que tava gorda (ainda estou), mas não tava nem preocupada em perder peso. Quando a gente diz que tá feliz gordinha, as pessoas nunca acreditam. Te acham uma doida e querem te mandar pra fazer tratamento psicológico. Mas nada é tão simples.

Tem gente que emagrece com facilidade. Tem gente que tem a maior dificuldade em engordar. Tem gente que paga um dobrado pra emagrecer 500 gramas. Tem gente que tem estrutura de gente magra, mas engorda. Tem gente que tem estrutura mais gordinha e mesmo magra parece acima do peso. Sério que vocês acham que não dá pra ser feliz do jeito se é? Pra quê ficar brigando o tempo todo com a balança, com o teu biotipo, se angustiando atrás de resultados que nunca serão iguais de uma pessoa para outra?

Eu tenho minhas metas. E tou numa luta ferrenha. Mas não tou buscando o corpo da modelo, ou da atriz que apareceu na novela. Tou buscando saúde. Tenho que tirar aquela bola de gordura do fígado. Melhorar meu condicionamento físico (tem gente com 70 anos com muito mais fôlego que eu). Parar de fumar. Tudo isso faz parte de um processo que nada tem a ver com "itzação" que ando vendo por aí.

Bem, depois de tudo isso, deixa eu contar o que aconteceu desde abril, quando falei do fígado. O tratamento com a ortomolecular é tudo de bom. Apesar das mudanças na rotina, não deixado de fazer as coisas. Continuo trabalhando, frilando, namorando, estudando, mas tenho me alimentado bem melhor. E tou mais calma. Ao contrário do que prometi naquele post, os exercícios físicos na minha rotina começaram apenas na semana passada, quando até a nutricionista já tinha desistido de recomendá-los. Mais de uma dezena de quilos se foram. Meu joelho dói menos. Minha alimentação tá joinha. Não tomei remédio nenhum. E ainda tenho um longo caminho pela frente. E ao contrário do que muita gente espera, não vou ficar magrinha. Minha estrutura não é magra. Meu biotipo é brevilíneo, ou seja, baixinha e parruda. Mas tenho certeza que vou conseguir restabelecer meu fígado e conseguir o fôlego esperado. E continuar sendo feliz, do mesmo jeito que eu era 12 kg atrás (claro, com bem menos estresse que na época).

PS: ando falando sobre isso aqui. se quiser saber, dá uma passadinha ali.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...