terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Dormir junto (não) é uma arte





Tive uma chefe muito bacana, anos atrás, que dizia que mais difícil que achar bons amantes, é achar bons companheiros de cama. Ela defendia que encontrava boas transas com mais frequência do que achava bons "dormidores" de conchinha. Fiquei pensando naquilo e sabe que é verdade? Sabe aquele cara que se enrosca todo em ti e mesmo assim você fica extremamente confortável? Ou aquele deus grego (ou de ébano) que só passa o braço por cima e você fica com vontade de dizer "querido, você já fez o seu trabalho, por favor, me deixa dormir?" Essa é que a questão: não tem fórmula para dormir junto. É só questão de encaixe. Não tem jeito, as pecinhas tão espalhadas por aí e nunca é fácil achar a sua.

Só que tem outro ponto importante sobre dormir junto que é bom lembrar: intimidade. Cada vez mais acredito que não dá para dormir com alguém na primeira vez. Não me interpretem mal, transar na primeira vez é tranquilo, mas dormir... Visualiza a situação: você tá solteira, sai na noite, conhece aquele cara mega charmosão, com um ótimo papo e uma pegada melhor ainda. A transa é divina. Aí você resolve dormir na casa dele e:
1) não para quieta dormindo (e não deixa o cara dormir)
2) fala dormindo (e não deixa o cara dormir)
3) peida dormindo (sorry, babies, quando a gente tá consciente dá pra ir ao banheiro, mas dormindo... babaus - (e não deixa o cara dormir)
4) dá aquela roncadinha de nariz entupido (e não deixa o cara dormir)

ou ainda:
5) o cara ronca feito um trator (e não te deixa dormir)
6) o cara não para quieto dormindo (e não te deixa dormir)
7) o cara liga o ar-condicionado em uma temperatura siberiana e rouba as cobertas (e não te deixa dormir)
8) o cara peida MUITO dormindo (e não te deixa dormir)

Em qualquer uma das situações o resultado é o mesmo: acho que não vou ligar praquela(e) louca(o).

Tem os sonâmbulos também, mas nem precisamos ir tão longe. É, meninas, não é fácil. Tem certas coisas que precisa de um pouco mais de conhecimento antes de fazer. Agora pensa na minha situação. Depois de velha resolvi começar a falar dormindo. O meu queridão, que já me atura há alguns anos, tem sono leve e todos os dias me relata as longas horas que eu fico no telefone vendendo pauta, falando de beleza, travando altos papos com o Sílvio Santos (tem sonho que ninguém explica), falando chinês, falando inglês... um horror! Depois de tantos anos ele até que se diverte. Mas imagina se fosse a primeira vez? O cara tinha corrido! Ceeeerto!


Dormir junto é tri bom. Mas um test drivezinho antes de se arriscar no mundo desconhecido do sono compartilhado não faz mal a ninguém.

Que cês acham?

Um comentário:

Marcita 2008 disse...

é tudo verdade
como é complicado .....
mas vale a pena a gente tentar encontrar alguém compatível
bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...