segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A menina má que queria desenhar livros

"O mundo é um belo livro, mas com pouca utilidade para quem não sabe ler." (Carlo Goldoni)


Quando eu era diagramadora, aqui em Barbacena, uma das coisas que eu mais gostava de dar vida eram os livros. Pensá-los, montá-los, pensar em como as pessoas achariam melhor de ler, escolher a melhor capa era uma das minhas paixões. Meu lado designer hoje dorme em berço esplêndido, mas eu continuo prestando atenção a detalhes que passam desapercebidos da maioria das pessoas. Adoro.

Por isso mesmo tou triste de não fazer um curso bacana que eu queria. Sente:

Mesmo em plena era digital, você já parou para pensar em como se faz um livro? A produção editorial de livros e design gráfico andam de mãos dadas. Para que esse universo possa ser explorado para poder abrir frentes no campo profissional da edição, a Escola de Design Unisinos promove, a partir desta sexta-feira, 1/10, o curso “Design na Produção de Livros”, com a professora Marília Barcelos.

Marília, que é doutora em estudos de literatura pela PUC-RIO, é editora e especialista em publicações de livros, com mais de 20 anos de atuação. Durante o curso de extensão, os participantes poderão aprender desde a posição do design nas fases de produção do livro, os profissionais envolvidos na feitura da publicação e suas relações na Cadeia Produtiva do Livro (do autor ao leitor) até a simulação de criação de design de livro.



Vai dizer que eu não ia suuuuuuuperamar? Paciência! Enquanto isso sigo consumindo histórias, desenhos e detalhes que me fazem tão bem. Vai dizer: que coisa tão boa que é ler, né? Falando nisso, recomendo este para quem não leu: 


As travessuras da menina má, Mário Vargas Llosa


O livro, de 2006, conta a história de amor nada convencional de Ricardo Somocurcio - um pacato peruano que, realizando um sonho de infância, vai morar em Paris - e a Menina Má - uma garota ousada que ele conheceu na década de 1950, em sua cidade natal, Lima, no Peru. Ricardo consegue um emprego de tradutor da Unesco, na França; por essa razão, viaja esporadicamente pela Europa e pelo mundo, mas vive uma vida pacata no sótão de um hotel na rua Saint-Sulpice. Pacata até ele reencontrar a personagem título, seu antigo amor de adolescente, uma figura do passado peruano já quase esquecida.

Inconformista, esperta, petulante, sedutora, porra-loca, a Menina Má aparece e desaparece da vida de Ricardo sempre deixando o pobre cada vez mais apaixonado. É uma história que te leva a vários lugares do mundo: a França dos anos 60; a Londres entregue ao amor livre dos anos 70; a Tóquio dos grandes mafiosos; e a Madri em plena transição política dos anos 80. Conforme lia, me sentia por vezes Ricardo, por vezes a Menina Má. A história é amarrada com maestria por Llosa. 



Pega lá! Vocês não vão se arrepender.

Um comentário:

Feufa Maciel disse...

esse livro é ótimo!
recomendo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...