quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Entrevista na bolsa: caiu na rede é moda!

Esta foi outra das entrevistas que fiz para a Escola de Design Unisinos. Mas como moda e comunicação digital são dois temas que gostamos... voilà!

Os blogs, os perfis de twitter, facebook e outras redes sociais mudaram o modo das marcas interagirem com o consumidor. Se com bancos e outras corporações é assim, o mundo fashion não seria diferente. MariMoon, hoje na MTV, já era conhecida no mundo online quando André Azevedo participou da criação da campanha “Create Yourself” da Melissa, que acabou movimentando o SPFW com a cobertura dela e de outras três blogueiras. Ponto pra marca. Ponto para as redes sociais que, desde então, mostram que estão com tudo e não estão prosas.
Como a gente se interessa pelos dois assuntos – moda e redes sociais – nada melhor que uma entrevistinha com este publicitário que já criou campanhas na rede para marcas muito bacanas. Com vocês, André Azeredo:


Como a cultura digital está impulsionando o mercado de moda hoje?
A cultura digital tem tudo a ver com a moda. A instantaneidade que a digitalização trouxe foi absorvida com sabedoria pela indústria da moda. Os blogs de street style são um reflexo disto. E aí acontece um fenômeno interessante: ao mesmo tempo em que as tendências são multidisseminadas através destas plataformas, menor é a planificação dos estilos. Estas facilidades em encontrar novas informações despertaram subtendências e novas oportunidades para pequenos designers, que agora não têm mais limites físicos para mostrar e vender suas coleções.

Nos diga os 5 mais:
- cases de sucesso de empresas/marcas de moda nas redes sociais (não vale dizer só as ações que tu fizeste, ;)
- #fail cases

Olha, não é puxar a brasa pra minha sardinha, mas um dos grandes cases nacionais foi a campanha da Melissa em 2006, "Create Yourself". A marca convidou  quatro blogueiras em ascensão e colocou-as como porta-vozes da campanha, na Internet e nas mídias tradicionais.

Outro case legal é o da Burberry com o hotsite "Art of the Trench", que reúne fotos de fotógrafos profissionais com contribuições de usuários comuns focando exclusivamente no trench coat, um clássico da marca.

Um case que é mais que um "case" é a loja de camisetas Threadless. As redes sociais SÃO o negócio da marca. Eles se utilizam do poder do crowdsourcing como matéria-prima no desenvolvimento de novos produtos, tudo através da plataforma da marca (a loja virtual) com suporte de redes como o Facebook e o Twitter.

Na lista de cases de moda nunca pode faltar a Uniqlo, uma loja japonesa de roupas. Com pequenos aplicativos "sociais", gerou-se uma empatia mundo afora por conta da simplicidade com que podemos interagir com a marca. A mais recente é a Lucky Counter, onde cada tweet divulgando os produtos fazia com que o preço baixasse.

Olha, sabe que agora, de bate-pronto, não me lembro de #failcases? Talvez tenha a ver com o fato de que as marcas de moda demoraram um pouco para se inserir nas
mídias sociais e acabaram por já ter um repertório de sucessos e fracassos de outras empresas nestes ambientes.

Aqui no Brasil, tem o "clássico" da Nike em 2008 que, por conta da lesão do Ronaldo, enviou uma nota pronta a diversos blogs pedindo que eles publicassem – com certa urgência, até – o endereço de um hotsite. No comunicado, a assessoria contratada pela Nike falava em "futuras parcerias" com os blogs caso os comentários gerados fossem positivos.

Os blogs que abordam a moda, em qualquer aspecto, não param de crescer e ganhar seguidores. Como trabalhar com uma gama tão grande de possibilidades?

Segmentação. Cada ação, cada blog com o qual desejamos interagir merece ter uma linguagem própria, única. Os blogs são uma das respostas ao modelo clássico de comunicação que imperava até dez anos atrás. Apenas as marcas falavam. Agora, toda ação de marketing tem que ser um diálogo. E as marcas estão em um momento em que devem ouvir mais do que comunicar. E quando se manifestarem, cada vez mais tem que ser de uma forma transparente, pessoal e individualizada.

Mas o grande trunfo de uma marca é integração destes canais sob um mesmo discurso. Mesmo que a linguagem utilizada seja diferente, a mensagem deve ser a mesma. O mercado da moda nos dá diversas ferramentas para trabalharmos este discurso, porque toda coleção, toda peça, acessório, parte de um conceito criativo. Com estas diretrizes bem definidas, suas manifestações tornam-se mais claras e a comunicação fica mais fácil de ser executada.


Para quem se interessar, André Azeredo está ministrando o curso “A Moda nas Novas Mídias” na Escola de Design Unisinos no mês de novembro. A influência da cultura digital no processo criativo de uma marca de moda, o planejamento de comunicação de uma coleção através das mídias sociais e as oportunidades e vantagens de se manter uma loja virtual exclusiva serão alguns dos temas abordados. O curso começa no dia 11 de novembro e está com inscrições abertas. Mais informações e inscrições você encontra em www.unisinos.br/design/extensao ou pelo telefone (51) 3012.1363.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...