quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Ser Julie ou Julia, eis a questão

Julie & Julia (2009) é um filminho querido, fofo e que dá muita, muita fome. Um dos que mais gostei de assistir nos últimos tempos. Não é o filme da minha vida, mas é de uma simplicidade encantadora. Fora que quem, como eu, tá beirando/entrando/recém-entrando nos 30 já deve ter se sentido meio Julie várias vezes.


 Sabe aquela coisa: te arriscou, não deu certo, teus amigos tão bem, tu não tá nem perto de ser o que esperava e muito menos possui o cargo que almejava. Aquela coisa meio perdida de pensar: será que eu tou fazendo a coisa certa. Pois é, me identifiquei. Julia também é o máximo. Não tenho um quinto do otimismo dela, o que por si já é motivo suficiente para invejá-la. Agora todo mundo ainda meio romântico nesse mundo há de concordar: que coisa fofa que era ela com o Charlie! Adorei a coisa das festas, decoração e cartões para o dia dos namorados! Fora que entre eles... ah, tudo de bom. Apaixonadinho e maduro. Como deveriam ser sempre todos os relacionamentos. Bom, não foi por nada que eu gostei do filme.


A Renata e eu já vínhamos com a ideia de ter um blog meio "mulherzinha". Toda a semana a gente se troca esmaltes, mostra lançamentos, comenta o que comprou de cremes. Sempre comentei dos eventos de blogueiras que fui, do quanto é divertido poder sentar pra conversar, trocas ideias e risadas com gente que mais ou menos tá na mesma batida que tu. Mas a gente não queria só isso: a gente queria poder falar do resto. A gente quer falar do que encanta, do que escuta, do que escreve, do que lê, do que assiste. Por isso esse caos todo. E ver a Julie com  sua meta começando a blogar nos empolgou a tocar este projeto e fazer deste espaço o nosso cantinho. Nosso, mas cheio de lugar para as nossas amigas, conhecidas ou não.
Então, eis a questão: Julie ou Julia? Na real mesmo, acho que um pouco das duas, com muito de Paula.



Parando com a filosofia e falando de coisas gostosas do filme. Adorei o site do filme! Na época do lançamento deveria estar bem mais divertido, mas a seção "Julie, Julia & You", onde as pessoas podem dividir suas inspirações culinárias é o máximo. Bingo pra quem pensou nisto.

Outra coisa: quem aí já pensou em fazer o tão falado boeuf bourguignon? Bom, eu já! Só tou esperando o forno voltar a funcionar para colocar a mão na massa. Para quem sonha em fazer a famosa receita, achei no Mixirica e vou dividir aqui. Vai aí:

Boeuf Bourguignon

- 170g de bacon
- 1 colher de sopa de azeite
- 1 quilo de carne em cubos de 5cm (usei 500g de músculo e 500g de lagarto)
- 1 cenoura
- 1 cebola
- 1 colher de chá de sal
- ½ colher de chá de pimenta
- 2 colheres de sopa de farinha de trigo
- 3 xícaras de vinho tinto (Julia sugere um vinho encorpado e jovem, como um Chianti)
- 2 a 3 xícaras de caldo de carne*
- 1 colher de sopa de extrato de tomate
- 2 dentes de alho amassados
- 2 raminhos de tomilho
- uma folha de louro
- o toucinho do bacon

Certifique-se que sua panela vai ao forno e tem tamanho suficiente para comportar todos os ingredientes da receita, caso contrário terá surpresas desagradáveis.

Remova o toucinho e corte o bacon em tirinhas de aproximadamente 0,5cm por 4cm. Coloque em uma panela com cerca de 1,5L de água e ferva tudo por 10 minutos. Escorra e deixe secar. Ligue o forno para que aqueça em temperatura média-alta (cerca de 230ºC).

Seque os cubos de carne em papel toalha, para que dourem facilmente. Frite o bacon (exceto o toucinho) no azeite e quando dourado retire com uma escumadeira e reserve. Deixe a gordura esquentar até quase fazer fumaça. Aos poucos, frite os cubos de carne na gordura do bacon, sem encher muito a panela para que dourem por igual, por todos os lados. Retire os cubos já dourados e reserve junto ao bacon frito.

Doure a cenoura cortada em rodelas e a cebola em fatias na mesma gordura. Descarte o excesso de gordura ao final. Volte a carne e o bacon à panela junto com os vegetais e tempere com sal e pimenta, salpique a farinha de trigo, misture e leve a panela ao forno, deixando a farinha dourar sobre a carne por 4 minutos ou mais. Retire do forno, mexa a carne e retorne a panela ao forno, deixando mais 4 minutos. Ao final, retire a panela e abaixe a temperatura do forno para 160ºC (fogo baixo).

Derrame na panela o vinho e o caldo de carne, cobrindo a carne. Adicione o extrato de tomate, os dentes de alho esmagados , as ervas e o toucinho. Leve à fervura na chama do fogão. Tampe a panela e transfira-a para o forno, deixe na grade mais baixa do forno, e regule o calor para que o líquido ferva apenas levemente. Deixe cozinhar por 2 e ½ a 3 horas, ou até que consiga espetar um garfo na carne com facilidade.

Enquanto a carne assa, prepare as Cebolas e Cogumelos Glaceados e reserve-os.

Quando a carne estiver macia, coe o conteúdo da panela fazendo com que o molho escorra em uma panela menor. Retorne a carne e o bacon à panela original e disponha as cebolas e cogumelos sobre eles.

Retire a gordura aparente do molho e leve ao fogo baixo, fervendo levemente por alguns minutos e retirando alguma gordura que venha a aparecer na superfície. Você deverá obter cerca de 2 xícaras e meia de molho, espesso o suficiente para cobrir o verso de uma colher. Se o molho ficar muito ralo, ferva-o por alguns minutos até reduzir e espessar. Já se estiver espesso demais, ajuste a consistência com um pouco de caldo de carne. Ajuste o tempero, controlando com cuidado o sal e a pimenta. Derrame o molho sobre os a carne e os vegetais. Até este ponto, a receita pode ser preparada na véspera.

Se for servir na hora: aqueça a panela por alguns minutos, umedecendo a carne e os vegetais com o molho. Sirva na própria panela do cozimento ou arranje em um prato, complementando com batatas, massa ou arroz. Se quiser, decore com salsinha.

Se for servir mais tarde: mantenha em geladeira depois de frio. Cerca de 20 minutos antes de servir, aqueça, tampe e deixe ferver em fogo baixo por cerca de 10 minutos, umedecendo os vegetais e a carne com o molho.

*Prefira o caldo de carne caseiro. Ferva em fogo baixo por cerca de 2h ou mais uma cenoura, uma cebola e um talo de salsão com um pedaço de carne com osso e algumas ervas do seu gosto. Escorra, resfrie, retire o excesso de gordura e pronto.

Receita despojadamente traduzida e adaptada da original de Julia Child, Louisette Bertholle e Simone Beck, publicada no livro “Mastering the art of French Cooking”, publicado pela editora Alfred A. Knopf.


Cebolas e cogumelos glaceados

- 1 colher de sopa de manteiga
- 400 a 500g de cebolas nanicas para conserva, descascadas
- 1 xícara de vinho tinto
- cerca de 300g de cogumelos variados ou de sua preferência
- sal e pimenta-do-reino a gosto

Derreta a manteiga em uma frigideira grande ou panela rasa. Coloque as cebolas inteiras e cozinhe mexendo sempre até dourar. Derrame o vinho sobre as cebolas e deixe cozinhar até quase secar, por cerca de 20 minutos. Depois disto, junte os cogumelos e tampe a panela. Cozinhe até os cogumelos ficarem macios e o molho ficar levemente espesso. Tempere com sal e pimenta e posteriormente junte ao boeuf bourguignon.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...